JON SNOW ESTÁ VIVO. Ou será que não? GAME OF THRONES PEGA FOGO!

Com a volta de Jon Snow (ah gente, não tem como não dar esse spoiler pra quem ainda não vi o ep), o segundo episódio da sexta temporada de Game of Thrones começa morno, mas depois nos tira o fôlego.

Diferentemente do que estávamos acostumados a ver nas cinco temporadas anteriores, a sexta temporada de Game of Thrones está se organizando de uma forma menos compassada. Anteriormente, estávamos acostumados a ver temporadas que começavam lentas, mornas e até meio entediantes. E depois, com o passar dos episódios, começavam a pegar um ritmo mais forte. Até que nos episódios 9 e 10 elas se tornavam uma loucura. Geralmente, com cenas de guerras extensas e reviravoltas surpreendentes.

A sexta temporada já está com reviravoltas, revelações e acontecimentos surpreendentes desde o seu primeiro episódio. Será que isso tem relação com o fato de que a HBO assumiu 100% o controle da história, por não haver paralelo com os livros? Seja por isso ou não, nós, Throners maníacos, estamos adorando. Não é mesmo?

[ALERTA DE SPOILER NOS PRÓXIMOS PARÁGRAFOS]

Para quem esperava que a temporada inteira fosse se arrastar com Jon Snow morto, sendo ressuscitado somente no último episódio, a noite de ontem foi de chacoalhar o mundo. Lady Melisandre, ainda que desacreditada, conseguiu trazê-lo de volta à vida. Mas e agora? Será que o Jon Snow que voltou é o mesmo Jon Snow que se foi? Há quem diga que ao voltar dos mortos as pessoas não são mais as mesmas. Será que esta foi a maneira que George R.R Martin encontrou de transformar a personalidade de Jon Snow sem precisar fazer uma transição gradual? Porque realmente, Game of Thrones precisava de um Jon Snow mais forte e menos sentimental. Será que agora ele virá com toda força que a série precisa?

JON SNOW ESTÁ VIVO. Ou será que não? GAME OF THRONES PEGA FOGO!

JON SNOW ESTÁ VIVO. Ou será que não? GAME OF THRONES PEGA FOGO!

As expectativas são grandes! Khaleesi parece ter sido colocada de molho nessa temporada. Ao contrário de Tyrion, assumiu o controle dos dragões, abriu as correntes e as portas, deixando-os livres para aterrorizar o reino.

Conforme o próprio personagem diz para Lord Varys “da próxima vez que eu tiver uma ideia dessas, me dê um soco na cara”. Realmente, a ideia parecia muito generosa e inteligente. Mas… será que foi uma boa ideia? Que tipo de estrago esses dragões descontrolados podem trazer para as próprias pessoas, e até para Khaleesi? Será que eles atravessarão o oceano e chegarão a Westeros? Será que resgatarão a sua mãe?

Se formos somar as variáveis: (1) Jaime Lannister com intenção de matar todos os religiosos e assumir o controle de King’s Landing. Tommen, em paralelo, pedindo ajuda a Cersei para tornar-se mais forte e perder seu lado sentimental e frágil + (2) Dragões soltos e sem sua mãe para assumir o controle + (3) Jon Snow de volta e, dizem os boatos, com um novo espírito, distante da generosidade e bom coração que o antigo Lord Comandante costumava ter + (4) Ramsey Bolton assumindo sozinho seu reino, matando sua madrasta e o irmão recém-nascido, fazendo aliança com os Karstark (que não medem esforços pela vingança), acabaremos tendo um cenário tenso e imprevisível. A qualquer momento um ou mais desses núcleos podem se encontrar e travar batalhas sangrentas.

E tudo isso como pano de fundo para situações isoladas como as das personagens: Sansa, Theon, Arya, Bron e os White Walkers.

A sexta temporada promete! Fica difícil prever o que podemos esperar.

Agora é segurar a ansiedade e começar a juntar os pedacinhos do quebra-cabeça.

Até o episódio 3, pessoal!

0

Leave A Comment

Your email address will not be published.